sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Devagar e sempre

Devagar e sempre,
tento fazer parte disso...
pra nunca parar,
sempre sonhar,
sempre escutar,
sempre lutar!

Ritmo constante?
Não necessariamente...
cada fase tem um ritmo.
Ritmo que eu faço...
posso controlar...
sei a realidade
que vou encontrar...

de caos e lama
de lama e caos
de intolerância
de ignorância
de individualismo
de muito "achismo"
de falta de empatia
de excesso de apatia

Mas não paro de sonhar,
pois devagar e sempre
ganho o fôlego que preciso,
pra ver aonde piso...
tentar transformar,
nunca conformar,
nem naturalizar!

Se a sociedade é construída,
tudo é mutável, imaginável e questionável,
por isso, sonhar é inevitável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário